Repleto de surpresas depois do Top 3, o draft de 2020 foi reflexo de um processo atípico dentro do qual as equipes tiveram, ao mesmo tempo – de maneira paradoxal, mais tempo e menos oportunidades para avaliar os prospectos.

Mais tempo pelo fato do draft ter sido realizado cinco meses após a data previamente marcada por conta da pandemia do novo coronavírus.

Menos oportunidades em virtude do cancelamento da temporada da NCAA e da fase mais aguda da competição universitária, o March Madness, bem como das restrições de distanciamento social impostas pela liga durante a maior parte do processo.

Naturalmente, um processo cheio de obstáculos como esse aumentou a pressão sobre os scouts das equipes na busca por avaliar e selecionar os melhores prospectos disponíveis quando o relógio os chamasse.

Neste post, apontamos as 4 franquias que consideramos ter feito o melhor trabalho nesse sentido.

Nota A+
Golden State Warriors
Escolhas: James Wiseman, pivô (2ª escolha); Nico Mannion, armador (48ª escolha); Justinian Jessup, ala (51ª escolha)
Comentário: a franquia fez ótimo trabalho ao optar pela escolha mais óbvia no Top 3 em James Wiseman, não apenas pelo encaixe posicional, mas também pelo fato do pivô possuir o potencial para ser um legítimo ‘game changer’ no lado defensivo por sua combinação de mobilidade e impacto ao redor do ar. O Warriors ganhou ainda um presente com Nico Mannion disponível na segunda metade da 2ª rodada – em nossos olhos, O maior steal do draft.

Philadelphia 76ers
Escolhas: Tyrese Maxey, combo guard (21ª escolha); Theo Maledon, armador (34ª escolha); Isaiah Joe, ala-armador (49ª escolha); Paul Reed, ala-pivô (58ª escolha)
Comentário: endereçou cada uma das lacunas de seu elenco selecionando: jogador que tem como ponto forte o jogo de pick and roll em Tyrese Maxey eestava bem mais alto em nosso big board do que a posição na qual foi selecionado. O 76ers adicionou ainda um especialista na linha dos 3-PT em Isaiah Joe e um defensor interno versátil em Paul Reed – quem projetamos ser capaz de atuar ao lado de Embiid em um garrafão mais alto e/ou oferecer uma abordagem mais versátil como small ball 5.

Nota A
Minnesota Timberwolves
Escolha: Anthony Edwards, ala-armador (1ª escolha); Leandro Bolmaro, ala-armador (23ª escolha); Jaden McDaniels, ala (28ª escolha)
Comentário: Minnesota acertou em cheio ao selecionar o melhor prospecto da classe de 2020 em Anthony Edwards – quem, de imediato, deverá impactar significativamente a habilidade da equipe explorar o espaçamento criado pelo sistema de 5 abertos do treinador Ryan Saunders para invadir o garrafão e ir à linha do lance-livre com frequência. Com Bolmaro e McDaniels, o Wolves optou por prospectos crus, mas de potencial para superarem com distância a posição na qual foram selecionados.

Nota A –
Dallas Mavericks
Escolhas: Josh Green, ala-armador (18ª escolha); Tyrell Terry, combo guard (31ª escolha); Tyler Bey, ala-pivô (36ª escolha)
Comentário: o Mavericks endereçou a necessidade de mais atleticismo e versatilidade defensiva ao selecionar dois dos principais prospectos da classe nos quesitos – os quais estavam, ambos, no top 15 de nosso big board pré-draft, em Josh Green e Tyler Bey. A escolha de Tyrell Terry nos agrada menos, já que projetamos dificuldades do guard permanecer em quadra pelo atleticismo limitado e as medidas físicas abaixo da média.