Desde o retorno oficial da temporada 2019-2020 da NBA, diversos calouros têm se destacado não apenas por suas performances individuais – mas também pela forma com que estão impactando significativamente o desempenho de suas equipes.

Nesta quinta-feira, passados exatos 7 dias do reinicio da liga, listamos três desses jovens jogadores cujo desempenho na ‘bolha’ impressionou:

1) Michael Porter Jr. (Nuggets)

Estatísticas: 26 PTS / 9.3 RBTS / 1 Toco / 58.7% FG / 47.8% 3-PT com 7.7 tent. / 4.7 LL (92.9% de aprov.)

Análise: sem poder ainda contar com Jamal Murray, de fora por conta de um incômodo no posterior da coxa esquerda, o Nuggets precisava de uma segunda opção ofensiva confiável para carregar o volume ofensivo da equipe ao lado de Nikola Jokic.

Michael Porter Jr., no entanto, fez mais do que isso. E, o melhor, o fez naturalmente – dentro do sistema do treinador Michael Malone.

O novato, que exibiu instintos e tempo de bola especiais para cortar sem a bola durante toda a temporada, seguiu se apoiando nessa característica – e na tremenda acurácia na hora de conectar arremessos situações de catch and shoot – para colocar pontos aos montes no placar sem nem sequer colocar a bola no chão em 63% de suas tentativas de arremesso.
MPJ impressionou ainda pela fisicalidade com que empregou para se estabelecer na tábua de rebotes. Característica que também havia demonstrado ao longo de todo o ano (10.6 RBTS por 36 min. em 19-20), mas que tem replicado na Disney agora com mais tempo de quadra.

2) Luguents Dort (Thunder)

Estatísticas: limitou os oponentes a um aproveitamento de 28.6% nos arremessos de quadra
Análise: de não-draftado a titular absoluto de um dos times mais competitivos da Conferência Oeste. A trajetória meteórica de Dort tem sido ancorada na sua excepcional presença física no lado defensivo da quadra.

Na bolha, o canadense tem ‘engolido’ guards com sua combinação de atleticismo e muita força física e, ao mesmo tempo, imposto sérias dificuldades a alas – utilizando seu perfil físico e a envergadura de 2,03m para compensar o fato de ser mais baixo que os oponentes das posições 3 e 4 (tem só 1,96m de altura).
Nesta quarta-feira, Dort literalmente ‘trancou’ Lebron James (Lakers) – limitando o astro a apenas 20% de aprov. nos arremessos em que o defendeu individualmente, para ajudar sua equipe a conseguir uma vitória fundamental na luta de OKC para fugir de um confronto com o Clippers na primeira rodada dos playoffs.

3) Cameron Johnson (Suns)
Estatísticas: 13 PTS / 7.3 RBTS / 48.3% FG / 37.5% 3-PT com 5.3 tent.
Análise: nunca existiu dúvidas quanto a habilidade de Johnson espaçar a quadra como um sniper na linha dos 3-PT. É sua habilidade de sobreviver na tábua de rebotes atuando na posição 4, porém, que o tem permitido permanecer em quadra por média 34.1 minutos por partida desde o retorno da liga.

O ex-jogador de North Carolina parece ter encontrado seu nicho na liga e não deve, na próxima década, voltar a conviver com os ‘DNPs’ corriqueiros da primeira parte da temporada.