1) Tyler Herro (Heat) 19.3 PTS / 6 RBTS / 4 ASTS e 1.3 Turnover / 48.6% FG / 44.4 para 3-PT com média de 6 tentativas por partida

O novato fez um trabalho estupendo como sexto homem na embalada equipe do Heat ao oferecer uma nova dinâmica à equipe com sua habilidade de espaçar a quadra com um gatilho extremamente veloz e preciso em situações de catch and shoot (58.3% de aproveitamento em suas 4 tentativas por jogo nessas situações).
Com uma abordagem madura, Herro mostra entendimento de seu papel na equipe do treinador Eric Spoelstra – executando a função de ‘sniper fora da bola’, mesmo depois de ter demonstrado capacidade para criar com ela nas mãos (o jovem se livrou da bola com menos de dois segundos depois de toca-la em quase 60% das oportunidades na última semana).
O ex-jogador da Universidade de Kentucky tem exibido ainda sua ‘mentalidade coletiva’ ao entregar esforço máximo no lado defensivo da quadra, característica rara para atletas com seu ‘skillset’.
Na semana, Herro limitou seus adversários a um aproveitamento de apenas 40.8% nos arremessos de quadra e de 26.9% quando os marcou individualmente.

 

 

2) PJ Washington (Hornets) 15 PTS / 6.7 RBTS / 1.3 Roubo / 65.5% FG / 45.5% para 3-PT com média de 3.7 tentativas por partida

Parte crucial do surpreendente início de sua equipe na temporada (Charlotte tem uma campanha de 3 vitórias e 3 derrotas até aqui), Washington tem traduzido toda sua versatilidade ofensiva demonstrada na última temporada universitária.
Na última semana, o ala-pivô seguiu o excelente aproveitamento na linha dos 3-PT demonstrado nos primeiros 10 dias de temporada, mas brilhou ainda mais ao exibir sua habilidade de punir mismatches no post médio com o gancho curto de mão de direita – sua ‘arma’ preferida nos tempos de Kentucky.
O excelente toque ao redor do aro e a habilidade de permanecer equilibrado após seus drop steps, permitiu com que o novato convertesse incríveis 82.4% de suas tentativas próximas ao aro.

 

3) Ja Morant (Grizzlies) 20 PTS / 4.5 ASTS e 4 Turnovers / 1.5 Roubo / 51.7% FG / 50% para 3-PT com média de 3 tentativas por partida

Apesar de seguir tendo problemas com os turnovers (1.12 assistência para cada desperdício de bola na semana), a segunda escolha do draft de 2019 teve seu melhor período na NBA graças ao crescimento que apresentou no âmbito da pontuação.
Mais agressivo, Morant usou sua velocidade e atleticismo para colocar pressão no garrafão adversário (58.6% de suas tentativas vieram a 3 metros ou menos do aro) – área na qual finalizou com excelente toque em seus floaters e criatividade em bandejas acrobáticas para converter 70.6% de suas tentativas.
Seu jogo potente jogo de infiltração não deu aos adversários outra opção senão ir para ‘baixo’ de screens em situações de pick and roll, abordagem que ofereceu a Morant arremessos não contestados nessas situações – cenário que o novato aproveitou para converter 50% de seus pullups longos no período.
Caso o armador mantenha essa eficiência a partir do perímetro – se tornará rapidamente um dos jogadores mais difíceis de serem defendidos em toda a NBA.