Passadas duas semanas desde nossa última edição, é hora de atualizarmos o top 5:

1) Luka Doncic (Mavericks) 17.8 PTS / 6.8 RBT / 4.5 AST / 42.8% FG

A queda de sua eficiência pontuador tem coincidido com seu crescimento como criador de jogadas para os companheiros.

Após enfrentar problemas com desperdícios de bola no início da temporada, tem agora média de 4.5 assistências e 3 turnovers por partida – estatística que somada ao fato de Doncic ter dado 6 ou mais assistências em 4 dos últimos 5 jogos mostram sua evolução deste quesito.

2) Jaren Jackson Jr. (Grizzlies) 13.1 PTS / 4.6 RBT / 1.8 TOCO / 1 Roubo de Bola / 51% FG

Segue defendendo a um nível impressionante para um novato, mas deu um passo atrás no lado ofensivo ao engatar uma sequência de jogos nos quais não conseguiu estabelecer presença como pontuador.

Rebote é outra área de preocupação. Tem de aprender a a utilizar sua envergadura de 2,24m para buscar bolas fora de sua ‘zona de conforto’.

3) Deandre Ayton (Suns) 15.5 PTS / 10 RBT / 58.4% FG

Segue extremamente eficiente no ataque quando tem a bola, mas sua falta de engajamento para demandar mais posses – bem como para impactar o lado defensivo – tem diminuído o impacto que o pivô poderia ter.

4) Collin Sexton (Cavaliers) 15.8 PTS / 3.1 RBT / 2.6 AST / 45.4% FG

Encontrou seu nicho como pontuador e, atualmente, há pouco o que o adversário possa fazer para impedi-lo de ser eficiente nessa área – já que não possuem mais o luxo de dar a ele o arremesso de três, onde converte 43.6% das tentativas.

Precisará melhorar como distribuidor se quiser entrar na disputa pelo prêmio de Calouro do Ano.

5) Marvin Bagley (Kings) 13 PTS / 6.4 RBT / 1.1 TOCO / 53.2% FG

Tem sido peça chave para a boa campanha de sua equipe ao sair do banco para entregar energia e capacidade atlética todas as noites. Começa a se firmar como criador de jogadas em transição ao pegar rebotes e iniciar o contra-ataque com excelente controle de bola para um jogador de sua posição.