Nacionalidade
usa Estados Unidos
Posição
Ala
Altura
2,01m
Peso
107kg
Universidade
Season:

Idade: 20 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Mississippi State
Experiência: sophomore (segundo ano universitário)
Posição: ala
Altura: 6’7’’ (2.01m)
Envergadura: 7’1’’ (2.15m)
Peso: 106.6 kg

Médias na última temporada: 11.4 pontos, 6.3 rebotes, 1.3 assistência, 1.1 roubo de bola, 1.0 tocos, 1.9 erro de ataque, 49.5% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 42.9% de conversão nos tiros de três pontos e 64.1% de acerto nos lances livres em 33.1 minutos de ação por partida

PONTOS FORTES

– Woodard é o protótipo físico de um combo forward na NBA atual, com seus mais de 2m de altura e braços longos combinados com um corpo já forte o bastante para enfrentar competição profissional;

– Trata-se de um jogador muito esforçado e oportunista movimentando-se sem a posse da bola, oferecendo opções de passes para os companheiros especialmente quando corta para a cesta em velocidade;

– Atleta físico abrindo caminho para a cesta, que finaliza em torno do aro com incisão e criatividade. Cava poucas faltas, mas apresenta certa eficiência explorando adversários mais baixos no post up;

– É um passador bastante voluntarioso, embora tenha médias ínfimas de assistências. Woodard não “retém” a posse e tira dinâmica do ataque, além de tomar decisões rápidas com a bola;

– Apesar de não ser um arremessador com enorme volume (2.2 tentativas por partida), é impossível ignorar que converteu quase 43% dos tiros de longa distância na última temporada da NCAA;

– Muito bom reboteiro, que combina força física e envergadura para proteger e cobrir espaço dentro do garrafão. Seus 6.3 rebotes por jogo podem não fazer jus ao seu potencial e espírito nesse quesito;

– Combina bons recursos físicos e inteligência na defesa: exibe potencial para ser parte de sistemas de marcação coletivos eficientes no próximo nível, além de usar os braços longos para contestar arremessos e quebrar linhas de passe;

– Woodard tem considerável versatilidade defensiva para jogar em uma NBA adepta de formações mais leves, com os atributos físicos para marcar alas, alas-pivôs e até pivôs mais baixos;

– Prospecto com perfil ideal para ser um role player entre os profissionais: esforçado em quadra, apresentou sensível evolução ao longo da carreira universitária e atua com consciência de suas limitações.

PONTOS FRACOS

– Times espertos, mesmo em nível universitário, sabiam que precisavam forçar Woodard a bater bola e criar o próprio arremesso – seu controle de bola é bastante rudimentar, limitando-se a linhas retas;

– Não se trata de um criador, na verdade, nem para os companheiros: embora seja um passador altruísta, ele distribuiu apenas 40 assistências na última temporada e registra proporção de só 0.68 passe decisivo para turnover;

– Seu arremesso ainda não é confiável e levanta suspeitas se os índices de conversão da última temporada são sustentáveis, por conta da mecânica lenta e aparentemente sem muito alcance;

– Melhor indicativo sobre bons arremessadores em nível profissional, sua taxa de acerto de lances livres não “disparou” como as bolas de três pontos mesmo com um volume igualmente baixo (2.5 por jogo);

– Woodard ficou exposto contra armadores e jogadores mais baixos no perímetro em nível universitário, sem apresentar a agilidade lateral necessária para marcá-los – algo que vai se repetir na NBA;

– Quase todas as cestas do prospecto são originadas de oportunidades criadas por seus companheiros, em catch and shoots. Se o time não conseguir “encontrá-lo” em quadra com bons passes, o que acontece?

– É um sophomore relativamente velho e com um refinamento técnico muito aquém de prospectos de elite. Pode ser um role player competente, mas é extremamente difícil vê-lo como mais do que isso.

Projeção: entre 20ª e 45ª escolhas geral