Nacionalidade
usa Estados Unidos
Posição
Ala-Pivô
Altura
2,08
Peso
89kg
Time Atual
Maryland Terrapins
Universidade
Season:
Smith entrará na temporada 2019-2020 com boas chances de se estabelecer como um dos jogadores mais dominantes do basquete universitário na temporada. Depois de atuar ao lado do angolano Bruno Fernando, hoje no Hawks, durante seu primeiro ano na Universidade de Maryland, o agora sophmore de 2,08m de altura e tremenda envergadura de 2,18m terá a oportunidade de ser o ponto focal de sua equipe e demonstrar seu vasto conjunto de habilidades como 'homem grande'. Atleta para lá de fluido, com rara facilidade para mudar de direção em se tratando de um jogador de 2,08m e a importante habilidade de saltar múltiplas vezes em sequência como quem 'quica na quadra', Smith será capaz de bater a maior parte dos pivôs adversários no nível universitário em jogadas de de face-up (de frente para a cesta, recebendo a bola sem quica-la antes do movimento de ataque), situações nas quais seus adversários terão ainda de respeitar seu bom toque no arremesso de média distância e saltar múltiplas vezes. O mesmo atleticismo fluido, combinado com a envergadura de alto nível para um ala-pivô e/ou pivô de small ball na atualidade, dão a ele excelente potencial no lado defensivo da quadra - área na qual utiliza sua facilidade para se mover lateralmente a fim de pressionar o homem da bola em situações de pick and roll (bem como trocar no perímetro - eventualmente) e seus saltos rápidos e sequenciais para proteger o aro (média de 3 tocos no torneio nacional da NCAA 18-19). Habilidoso e atlético mais do que o suficiente para se consolidar como uma escolha de loteria no próximo draft, Smith tem no físico franzino - e a consequente dificuldade de manter pivôs legítimos fora da tábua de rebotes, bem como defendê-los no post baixo, seu ponto mais fraco e, como segundo-anista, terá de mostrar evolução nesse aspecto durante a temporada universitária. Outro quesito que fará a diferença na subida ou estagnação de seu 'valor' junto aos scouters é sua habilidade de espaçar a quadra com o arremesso de longa distância. Considerado um arremessador capaz a partir do perímetro nos tempos de high school, Smith teve enormes dificuldades para traduzir seu chute para o nível universitário - convertendo apenas 26.8% de uma média de 2.2 tentativas para 3-PT em 18-19.