Conheça como pivô Rudy Gobert (Jazz), 27ª escolha do draft de 2013 pelo Denver Nuggets – e trocado na mesma noite para o Utah Jazz, se encaixa os quatro quesitos de nossa ‘Fórmula do Steal’:

 

1 – Múltiplos anos de basquete universitário ou em ligas europeias

Estreou no basquete profissional pela equipe francesa do Cholet, onde atuou por duas temporadas completas e acumulou médias de 6.2 pontos, 5 rebotes e impressionantes 1.5 tocos com 17.6 minutos por partida entre a Liga Nacional da França e a Copa da Europa.

2 – Medidas físicas medianas para a posição

Não se encaixa nesse quesito, muito pelo contrário. Com envergadura de 2,36m e 2,16m de altura, o jogador tem medidas perfeitas para um pivô da NBA atual.

3 – Jogo mais baseado nas habilidades e na inteligência do que na capacidade atlética

Às vésperas do draft de 2013, o analista do site Draft Express – Jonathan Givony, alertou para o fato de que o francês aparentava ser um pouco pesado ao correr a quadra e estava longe de ser um atleta explosivo, embora também não fosse terrível. “Ele testou mal em diversas categorias do NBA Combine (…) é certo que ele não passa nem perto de se comparar em termos atléticos a jogadores como Deandre Jordan e Javale McGee”, analisou.

A seu favor, Gobert tinha – segundo Givony – mãos incrivelmente macias para agarrar passes difíceis que, combinadas com sua envergadura monstruosa, faziam dele um excelente alvo para pontes-aéreas e um ótimo reboteiro.

Além disso, ainda que não muito atlético, Gobert foi apontado como um jogador com instintos para ser um ‘game-changer’ no lado defensivo da quadra – sobretudo pela habilidade de proteger o aro no tempo certo vindo do lado fraco da defesa.

4 – Atuam em universidades ou em equipes europeias que não possuem tanta ‘hype’

Se encaixa no quesito ao ter atuado pelo Cholet, equipe que nunca foi campeã da Liga Francesa de Basquete.

#nba #nbadraft #rookies #scouting #basquete #steal #nbabrasil