Veja como Draymond Green (Warriors) – tri-campeão da NBA, Defensor do Ano em 2017 e três vezes selecionado para o Jogo das Estrelas – se encaixa em nossa Fórmula do Steal.

O ala-pivô foi selecionado na 35ª posição do draft de 2012 pelo Golden State Warriors.

1 – Múltiplos anos de basquete universitário ou em ligas estrangeiras

Não foi alçado à condição de titular até o terceiro de seus quatro anos na da Universidade de Michigan State.

Como sênior, porém, Green explodiu ao liderar sua equipe em PTS (16.2), RBTS (10.6) e Roubos (1.5). Além disso, passou a mostrar flashes do playmaker que viria a ser na NBA com média de 3.8 ASTS.

2 – Medidas físicas medianas para a posição

Com 2,01m de alt. e enverg. de 2,17m – Green era, à época do draft, considerado baixo para a posição 4 e dono de medidas praticamente ‘impraticáveis’ para a posição 5, já que chegou à liga antes da ‘era do Small Ball’, tendência que teve justamente nele um de seus maiores propulsores.

3 – Jogo mais baseado nas habilidades e na inteligência do que na capacidade atlética

Em artigo publicado em 2011 pelo Draft Express, Matt Kamalsky foi duro ao dizer que – a despeito da temp. produtiva de Green, a tarefa de projeta-lo na NBA não era fácil por conta de seus atributos físicos – sobretudo defensivamente. “Infelizmente as deficiências defensivas de Green estão ficando mais claras como sênior. Com 2,01m de altura, ele é muito pequeno para marcar jogadores com bom jogo de post e carece de agilidade lateral para defender jogadores no perímetro ou até mesmo alas-pivôs confortáveis de frente para a cesta no nível universitário”, analisou – antes de complementar. “Apesar de seu esforço e agressividade ser incontestáveis, é difícil de projeta-lo como um defensor adequado na NBA nesse momento”. 4 – Atuam em universidades ou em equipes europeias que não possuem tanta hype

Michigan State não é lá a universidade mais ‘hypada’ da era do ‘one and done’ da NCAA. Mas, pela tradição, jamais sai do radar dos scouters da liga. Em 2018, por exemplo, o programa teve dois jogadores selecionados na loteria do draft – em Jaren Jackson Jr. (4º) e Miles Bridges (12º).