1) Zion Williamson (Pelicans) 29.3 PTS / 5.3 RBTS / 1 Roubo / 62% FG / 11.3 lances livres por jogo com 76.5% de aproveitamento / 4.3 TO

Absolutamente dominante em mais uma semana, Williamson arremessou 16 de sua média de 16.7 tentativas dentro da área restrita – convertendo 62.5% de seus chutes ‘debaixo’ da cesta.

Em um período marcado por dois confrontos – e duas derrotas – contra Lebron James (Lakers), o ala-pivô mostrou mais uma vez sua tendência para crescer nos grandes jogos, característica que o acompanha desde os tempos de Duke.

Na primeira partida contra o líder do Oeste, na última terça, ele atingiu o recorde de sua jovem carreira no âmbito das tentativas de lance-livre, com 19. Já na segunda, na noite desse domingo, anotou sua maior pontuação até aqui com 35 em apenas 16 arremessos de quadra.

2) Coby White (Bulls) 28.5 PTS / 4.5 RBTS / 1 Roubo / 52.6% FG / 58.8% 3-PT com 8.5 tentativas por jogo

Se mantendo quente na linha dos 3-PT pela segunda semana consecutiva, White mostrou mais uma vez sua habilidade de ‘pegar fogo’ e colocar pontos aos montes na tabela de estatísticas – seja atuando fora da bola ou criando o próprio chute.

Com uma combinação de ótimo controle de bola e a habilidade de subir para seus pullups ‘instantaneamente’ – surpreendendo o adversário, White matou ‘ridículos’ 88.9% de uma média de 3 tentativas de 3-PT a partir do drible.

Nem só de ‘estar pegando fogo’, porém, se fez a semana do ex-jogador de North Carolina – que mostrou maturidade para usar sua tremenda velocidade para atacar o aro contra marcações pressionadas, acumulando média de 5 tentativas por jogo na área restrita, sua maior marca em uma semana desde que chegou à NBA.

3) Ja Morant (Grizzlies) 18.8 PTS / 8.8 ASTS e 2.5 TO / 49.2% FG / 33.3% 3-PT com 4.5 tentativas por jogo

Quando parecia ter batido no ‘rookie wall’, o armador respondeu com uma de suas melhores performances como profissional na vitória fundamental de sua equipe contra o Los Angeles Lakers.

Na partida que manteve o Grizzlies respirando na oitava colocação do Oeste, Morant contou com uma espécie de ‘ressurreição’ de sua bola de 3-PT – conectando 4 de suas 6 tentativas longas na partida, depois de ter matado apenas 4 de seus últimos 25 chutes para 3-PT.

Com mais espaço ao obrigar a defesa a pressiona-lo no perímetro, o armador pôde usar sua velocidade para invadir o garrafão com frequência – concentrando a atenção dos adversários antes de encontrar Valanciunas livre no garrafão e Brooks pouco contestado no perímetro para anotar 14 assistências – igualando a maior marca de sua jovem carreira.

#nba #nbabrasil #basquete #rookies