Não é incomum observarmos em discussões entre fãs da NBA a afirmação de que falta um pivô protetor de aro, alguém com presença no garrafão, para que o Clippers se torne a potência que o restante de seu elenco sugere.

O que os números nos mostram, no entanto, é que o pouco badalado Ivica Zubac tem sido um dos jogadores mais impactantes de toda a liga na alteração de chutes na área pi
ntada e na consequente diminuição de percentual dos adversários em arremessos próximos à cesta.

Antes de falarmos especificamente sobre o croata de apenas 23 anos de idade, é importante ressaltarmos que o apontamento da proteção do aro como ‘um defeito’ da equipe do Clippers é – por si só – imprecisa.

O time de Doc Rivers é o sexto que menos sofre pontos no garrafão entre todos os participantes da NBA com média de 44.9 por jogo – ficando à frente de equipes com ‘shot blockers’ badalados como o Los Angeles Lakers (8º, com 46 por partida) e o Utah Jazz (9º, com 46.3).

‘Ah, mas – individualmente – o que o Zubac tem a ver com isso? Coloca outro no lugar dele e o Clippers seria o primeiro”, diria o mais cético.

Para refutar essas indagações prováveis, nada melhor do que comparar o impacto de Zu com os principais protetores de aro de Lakers e Jazz.

O impacto de Zubac sobre o percentual de arremessos de seus adversários a uma distância de no máximo a 1.8 metro da cesta tem sido absolutamente brutal em 2019-2020.

Em média, seus oponentes são 17.2 pontos percentuais menos eficientes do que de costume – com o croata limitando os adversários a um aproveitamento de 45.1% em uma distância tão próxima da cesta.

Atual bi-campeão do prêmio de defensor do ano, Rudy Gobert (Jazz) impacta em 12.3% negativos nessas situações – limitando os oponentes a um aproveitamento de 48.4%.

Anthony Davis (Lakers), favorito para o prêmio desse ano, impacta em 10.9% negativos – permitindo aprov. de 50%; enquanto seus companheiros de equipe JaVale McGee e Dwight Howard permitem, respectivamente, 49.4% e 58.4%.
Dentre todos eles Zubac é também aquele que impacta mais negativamente o aproveitamento dos adversários em arremessos até 3 metros de distância (15.1%) e disputa cabeça a cabeça com Davis e Gobert o impacto nos total dos arremessos de quadra – salientando que, claro, ‘AD’ leva ampla vantagem sobre todos os citados no âmbito da versatilidade para defender a linha dos 3-PT, sendo o único a impactar negativamente o percentual dos oponentes nessas situações.

O que queremos dizer, em suma, é que Zubac tem feito trabalho excepcional na proteção do aro do Clippers – ocupando a segunda posição no ranking de contestações por 36 minutos entre todos os titulares da NBA com 19.2 (Brook Lopez, do Bucks, é o primeiro com 26.3).

Embora não impressione pela quantidade de tocos que dá por jogo, Zubac usa com muita técnica a ótima envergadura de 2,24m para se manter vertical ao redor do aro e forçar que adversários arremessem por cima dele – forçando-os constantemente a tentativas de alto grau de dificuldade.

Sua efetividade nas proximidades do aro se deve também à melhora significativa que teve em sua mobilidade e velocidade de reação, algo que conquistou depois de intenso trabalho físico de ganhou de massa muscular e diminuição do percentual de gordura – depois de ter chegado um tanto ‘flácido’ à liga quando draftado na segunda rodada do draft de 2016 pelo Lakers.