1) Ja Morant (Grizzlies) 18.8 PTS / 6.5 ASTS e 3.8 TO / 4.5 RBTS / 56% FG / 5 lances livres por jogo com 80% de aproveitamento

As dificuldades enfrentadas pelo armador quando defendido por Ben Simmons na derrota contra o 76ers (4-12 FG; 6 ASTS e 4 TO) nem de longe apagam mais uma de suas tremendas semanas na temporada.

Mesmo diante de uma semana pouco eficiente em termos de arremesso (27.3% de aprov. nos 3-PT com 2.8 tentativas por jogo), Morant encontrou formas de impactar positivamente as partidas ao utilizar seu controle de bola criativo, o atleticismo de tirar o fôlego e tremendo toque para finalizar consistentemente na área pintada.

Nas quatro partidas disputadas no período, o novato matou matou 62.3% de uma média de 9.3 tentativas no garrafão e foi à linha do lance-livre média de 5 vezes por jogo para impulsionar sua equipe a mais uma semana vencedora (3 V e 1 D) – na corrida por uma vaga nos playoffs.

 

2) Terence Davis (Raptors) 16 PTS / 6.3 RBTS / 1.3 Roubo / 51.4% FG / 52.4% 3-PT com 7 tentativas por jogo

Cada vez mais um elemento crucial na rotação de Nick Nurse, Davis teve a melhor semana de sua jovem carreira na NBA – acumulando média de 27.5 minutos e permanecendo em quadra nos momentos mais decisivos das partidas.

Seus 20 pontos – com direito a 5 bolas de 3-PT em 8 tentativas – na vitória por 1 ponto de sua equipe contra o Nets foram fundamentais para a manutenção da incrível sequência de 14 vitórias consecutivas do Raptors.

À essa altura, é seguro colocar o novato não-draftado como integrante do vasto currículo de ‘achados’ de Masai Ujiri e seu staff – e projeta-lo como peça importante na versatilidade e pressão defensiva dos guards de Toronto em mais uma corrida nos playoffs da Conferência Leste.

 

3) Zion Williamson (Pelicans) 20.5 PTS / 5.5 RBTS / 1.5 Roubo / 46.7% FG / 9.5 lances livres por jogo com 68.4% de aproveitamento

O fato de Williamson ter sofrido contra a envergadura do Bucks ao redor do aro – na primeira partida de sua carreira abaixo dos 50% de aproveitamento nos arremesso de quadra (5-19 contra o Bucks), indica que o novato ainda tem muito trabalho a fazer na aquisição de um arremesso consistente de média distância e no maior conforto na hora de finalizar com sua mão ‘ruim’, a direita, antes de ser realmente imparável na liga.

Em contrapartida, suas 14 idas ao lance livre na mesma partida (10-14 de aprov.) mostram que sua capacidade atlética e força física fora do comum o permitirão encontrar uma forma de contribuir positivamente a despeito das limitações técnicas evidenciadas contra Antetokounmpo e companhia.

Além disso, os 21 pontos com 9-11 nos arremessos de quadra contra o Bulls – dois dias depois – foram uma resposta clara de que ‘se sua defesa não for a melhor defesa da liga, como a do Bucks’, ela terá uma boa chance de ser dominada pela 1ª escolha do draft de 2019.