Antes de se iniciar a temporada a maioria dos analistas projetavam que a disputa pelo o prêmio de Calouro do Ano ficaria restrita a Deandre Ayton (Suns) e Luka Doncic (Mavericks) – pelo fato de ambos estarem mais maduros nos aspectos físico e técnico para contribuir imediatamente na NBA.

Entretanto, passadas 7 rodadas desde a noite de abertura, realizada na última terça – 16/10, os dois favoritos ganharam a companhia de ao menos dois outros jogadores em Trae Young (Hawks) e Jaren Jackson Jr. (Grizzlies).

O primeiro tem sido nada menos do que espetacular. Colocando um alto ritmo das partidas como de costume, Young tem conseguido realizar ótimas leituras para ser eficiente contra os diferentes esquemas defensivos tentados contra ele.

A tradução dessas leituras se dá na observação de sua incrível relação de assistência por desperdício de bola (turnover). Com média de 8.3 assistências e 2.7 desperdícios por jogo o jogador tem distribuído 3 passes para cestas para cada turnover. Estatísticas que o colocam junto a elite dos armadores da NBA nessa primeira semana.

Sua tão questionada seleção de arremessos tem se mostrado mais madura também nessa primeira semana de liga. O armador do Hawks não está se contentando em arremessas bolas de três contestadas e, quando o marcador o defende com muita proximidade, Young tem se utilizado da agilidade e da habilidade com a bola para invadir o garrafão para finalizar com bandejas e floaters. Quando está livre, no entanto, Trae tem arremessado com confiança com até dois passos de distância da linha dos três pontos.

Os aproveitamentos de 45.5% nos arremessos de quadra e 39.3 na linha dos três indicam a qualidade das decisões da quinta escolha do draft na hora de chutar a bola.

Outro jogador que, durante os primeiros 7 dias da temporada, deu indícios de poder adentrar à briga pelo prêmio de Calouro do Ano – Jaren Jackson Jr. não demorou muito para se estabelecer como o melhor defensor da classe, como projetado pelo NBA Rookies Brasil durante as previsões da temporada.

O ex-jogador do Michigan State Spartans retirou páginas do repertório do também ‘Spartan’ – Draymong Green, para marcar dois jogadores ao mesmo tempo durante a cobertura de pick and roll.

Jackson mantém o jogador da bola em cheque ao fazer um ‘hard show’ (ou seja, pressionar o homem da bola para trás sem – no entanto – largar totalmente o jogador que faz o bloqueio ou screen) no momento do bloqueio e usa toda sua envergadura e velocidade para retornar rapidamente para seu matchup inicial atuando como agente disruptivo do passe ou chute do homem da bola e da corrida rápida para o aro do bloqueador. Uma aula de defesa que não pode ser traduzida em sua totalidade pelos 1.7 roubos de bola e 1 toco por partida.

No ataque, Jackson tem sido eficiente para criar seu próprio chute próximo ao aro com ganchos curtos de mão direita antecedidos por giros rápidos para o meio. Movimentos não tão bonitos, mas efetivos até aqui – o permitindo chegar a médias de 15 pontos e 50% de aproveitamento nos arremessos de quadra até aqui.

 

Confira abaixo como estariam o primeiro e o segundo time dos novatos após essa primeira semana e como estão ranqueados cada um desses jogadores na corrida para o prêmio de Calouro do Ano:

 

Primeiro time: Trae Young (1º), Luka Doncic (2º), Jaren Jackson Jr. (3º), Deandre Ayton (4º), Marvin Bagley (5º)

Segundo time: Shai Gilgeous-Alexander (6º), Omari Spellman (7º), Collin Sexton (8º), Kevin Knox (9º), Wendell Carter Jr. (10º)