Boa parte dos novatos de 2019-2020 não terá a oportunidade de atuar na sequência da temporada a partir do próximo dia 30/06 (7 das 14 escolhas de loteria, por exemplo, pertencem às 22 equipes convidadas para a cidade de Orlando).
Diante desse cenário, é justo que consideremos encerrada a disputa por nossas premiações anuais simbólicas como o ‘Primeiro Time de Defesa dos Calouros’.

Confira abaixo nossa seleção dos 5 ‘rookies’ de melhor atuação no lado defensivo da quadra ao longo do ano:
Armador – Terence Davis (Raptors)
Estatísticas relevantes: impactou negativamente o aprov. médio dos adversários em 2.4% nos arremessos de quadra e 2.1% na linha dos 3-PT; 2º melhor ‘defensive rating’ entre os novatos que atuaram em ao menos 40 partidas.
Visão geral: dono de ótimo atleticismo e envergadura para um combo guard (2,06m), ganhou seu espaço na rotação do Raptors ao misturar sua habilidade de pressionar o homem da bola com a disciplina tática e precisão nas rotações exigidas pelo sistema de Nick Nurse. O fato de ter atuado 4 anos no college, certamente contribuiu para que ele chegasse à NBA com melhor entendimento dos conceitos coletivos do jogo.
Ala-Armador – Luguentz Dort (Thunder)
Estatísticas relevantes: impactou negativamente o aprov. médio dos adversários em 4.4% nos arremessos de quadra e 6.5% na linha dos 3-PT; limitou James Harden a um aproveitamento de 2-13 como defensor primário da superestrela do Rockets no dia 20/01
Visão Geral: extremamente físico (97kg) e ativo para tirar seus adversários de seus lugares preferidos na quadra antes mesmo deles receberem a bola, se tornou titular e o principal defensor de perímetro do Thunder. Foi designado por Billy Donovan como stopper do principal jogador do perímetro adversário defendendo: James Harden (32.6 posses); Bogdan Bogdanovic (29.8); Andrew Wiggins (29.1); Kemba Walker (26.6); Zach LaVine (24.3); Davin Booker (24.1); Damian Lillard (20.5) – dentre outros.
Ala – Mathisse Thybulle (76ers)
Estatísticas relevantes: liderou os novatos em desvios (2.5) e roubos (1.4) – além de impactar negativamente o aprov. médio dos adversários na defesa individual em 2.5% nos arremessos de quadra e 8.1% na linha dos 3-PT
Visão Geral: comprovou a ‘hype’ de especialista de defesa – mostrando instintos espetaculares de antecipação fora da bola e usando sua envergadura de 2,14m e muita mobilidade lateral para ser um legítimo ‘stopper’ das posições 1, 2 e 3. Potencial ‘all defensive team’ perene na NBA.
Ala-Pivô – Brandon Clarke (Grizzlies)
Estatísticas relevantes: impactou negativamente o aprov. médio dos adversários em 7.2% em arremessos na área restrita e 2.6% na linha dos 3-PT
Visão Geral: uma aberração atlética ao combinar mobilidade e explosão vertical de elite, Clarke foi tão eficiente no perímetro quanto protegendo o aro. Literalmente alguém que pode defender as 5 posições em quadra – um sonho para treinadores que adotam sistemas de trocas defensivas.
Pivô – Daniel Gafford (Bulls)
Estatísticas relevantes: impactou negativamente o aprov. médio dos adversários em 11.1% em arremessos na área restrita, em 7.5 na linha dos 3-PT e liderou a classe em média de tocos por jogo com 1.3
Visão Geral: um dos melhores atletas da classe, exibiu tremendo timing e velocidade de reação para ser um protetor de aro de elite logo em seu primeiro ano na liga. Além disso, mostrou que pode sobreviver a trocas contra jogadores menores no perímetro. Moderno, colocou pressão em Wendell Carter Jr. na briga para ser o ‘pivô do futuro’ do Bulls.