Melhor atleta a surgir no radar da NBA desde Lebron James, Williamson desafia as leis da física ao sair 1,14m do chão em seu salto vertical – mesmo carregando um peso de 129kg distribuídos em um corpo de ‘apenas’ 2,01m de altura.

Seu atleticismo se torna ainda mais impressionante quando observamos fatores para além da explosão.

Ele tem uma agilidade fora do comum para se mover lateralmente, muita mobilidade para trocar de direção e excelente velocidade contínua em linha reta.

Seu basquete, no entanto, está longe de se limitar apenas ao aspecto físico.

Zion é dotado de instintos de elite para o jogo – exibidos em suas antecipações e rotações no tempo certo na defesa, área na qual será um verdadeiro game changer, não só pelo alto índice de roubos e tocos – mas, sobretudo, por sua versatilidade para defender as 5 posições em quadra.

No ataque, seus instintos se revelam em sua visão de jogo, na rápida reação para mudar de direção em áreas congestionadas – evitando cometer faltas de ataque, mesmo atuando com tamanha força e intensidade – e seu constante bom posicionamento para pegar rebotes ofensivos.


Em termos de habilidade, o freshman ainda tem muito que evoluir – mas não é tão ‘cru’ quanto alguns analistas tentam fazer parecer.

Zion tem um ‘ball handling’ acima da média para quem atuará entre as posições 4 e 5, ótimo toque próximo ao aro com ambas as mãos e muita técnica para fazer passes em movimento.

Há muito o que ser trabalhado em seu arremesso e em seu trabalho de pernas no post.

Mas sua mecânica não é ‘quebrada’ como a de Ben Simmons, e – se bem trabalhada, o permitirá espaçar a quadra a partir da linha dos três em dois ou três anos.