A pouco menos de um mês da chamada ‘Trade Deadline’ – data limite para que equipes da NBA troquem jogadores e outras assets entre si na atual temporada, a especulação em torno de possíveis negócios na liga tem se intensificado.

Para que possamos realmente separar aquilo que não passa de um ‘rumor caça clique’ de uma possibilidade real de acordo – é necessário estarmos atentos às peças de troca que cada uma das equipes possuem e como essas peças poderiam atender as necessidades de um possível parceiro troca.

Entre os ‘contenders’, ou seja – os times que tem ambição de lutar pelo título de 2019-2020, ‘assets’ como jovens jogadores de potencial e escolhas de primeira rodada são fundamentais na hora de convencer uma franquia em estágio e remontagem a substituir seus jogadores mais veteranos por peças que possam auxiliar na construção de um futuro melhor.

É nessa dinâmica que o Los Angeles Clippers, personagem dessa primeira edição da série, aposta para qualificar seu elenco com, por exemplo, um pivô capaz de ‘entregar’ mais consistência do que Ivica Zubac – atual titular da posição – tem entregado.

Avaliação:

Apesar de ter utilizado muitas de suas assets na aquisição do ala Paul George durante a última offseason, o Clippers é – dentre os contenders – um daqueles que está melhor posicionado para adquirir talento até a próxima deadline.

A franquia tem em Landry Shamet uma peça chave que – pelo fato de ser um dos melhores arremessadores jovens de toda a NBA (apenas 22 anos, com um aproveitamento de 41.6% dos 3-PT em seu 1 ano e meio de liga) – é capaz de ser elemento central em um pacote ofertado por um jogador de muito bom nível.

Para complementar o pacote centrado no ‘sniper’, o Clippers conta ainda com interessantes itens complementares que incluem:

sua escolha de primeira rodada no Draft de 2020 (escolhas de primeira rodada são sempre valorizadas por General Managers na NBA, pois garante à equipe a possibilidade de selecionar um dos 30 melhores prospectos da classe – bem como assegura-lo sob um contrato ‘razoável’ por pelo menos 4 temporadas);

o pivô novato Mfiondu Kabengele (27ª escolha do draft de 2019 – que, depois de fazer uma sólida Liga de Verão, continua se provando um jogador talentoso com ótimas atuações na G-League, competição na qual acumula médias de 16.8 PTS, 9.4 RBTS, 2 Tocos e 42.7% FG);

e o também pivô Ivica Zubac (jovem de ainda 22 anos de idade que, se não está pronto para ser o título em um dos favoritos ao título, certamente consiste em uma peça interessante para o núcleo jovem de uma equipe em ‘rebuild’ com sua combinação de ótimas medidas para a posição – 2,13m de altura e envergadura de 2,24 – e mãos macias para dominar passes de alto grau de dificuldade e finalizar ao redor do aro).

Além deles, Jerry West e companhia possuem outras peças jovens atrativas.

Casos do ala novato Terance Mann, outro jogador do Clippers que tem se destacado na atual temporada da G-League mesclando sua tenacidade defensiva com uma surpreendente atuação como point foward a partir da qual tem acumulado estatísticas de 16.6 PTS, 5.1 ASTS, 7.7 RBTS e 45.3% FG;

e do ala-armador Jerome Robinson, que apesar de ainda não ter ‘explodido’ na NBA – chegou à liga com uma excelente reputação de ‘cestinha completo’ adquirida em seus três anos no Boston College e que lhe propiciaram ser selecionado na 13ª posição do draft de 2018.