1 – Rui Hachimura (Wizards) 18.3 PTS / 6.5 RBTS / 47.5% FG / 4 lances-livres por jogo com 100% de aproveitamento

Na primeira semana que teve a oportunidade de passar minutos consistentes na posição 5, em cenários de ‘small ball’, o japonês mostrou muito conforto na função – utilizando sua maior agilidade para atacar o aro com muita eficiência em cenários de pick and roll, transição ou como cutter.

Hachimura liderou todos os novatos no período em quantidade de finalizações na área restrita – com 7.5 por partida e, mesmo com o alto volume, alcançou sua maior eficiência em toda a temporada no quesito: converteu 73.3% de suas tentativas nos 4 jogos que disputou na semana.

Sua capacidade de estabelecer ‘um passo de vantagem’ sobre os defensores mais lentos o permitiu ainda ir à linha do lance-livre com o dobro da frequência que foi no acumulado dos 22 jogos que disputou em 2019-2020. Na semana, foram 4 tentativas por partida – com um aproveitamento de 100%, contra 2 lances-livres por jogo no total da temporada ótimos 88.9%.

Início promissor do ex-jogador de Gonzaga na ‘nova função’, na qual consideramos que ele poderá entrar no grupo dos ‘mismatches constantes’ ao qual pertencem jogadores como Montrezl Harrell (Clippers) e Draymond Green (Warriors).

 

 

2 – Eric Paschall (Warriors) 17.7 PTS / 6 RBTS / 58.8% FG / 57.1% 3-PT com 2.3 tentativas por jogo

O ex-jogador de Villanova teve ótima semana como já se acostumou performar durante sua primeira temporada na NBA, mas – desta vez – o fez de maneira um tanto diferente em relação à maneira majoritária que vem atuando em 2019-2020.

Paschall seguiu agressivo em relação à cesta – usando seus 116kg e o forte primeiro passo para invadir o garrafão como uma ‘locomotiva’, espalhando seu corpanzil para criar e absorver contato (6 tentativas por partida na área pintada; 57.1% de aproveitamento).

Com o ainda inconsistente arremesso do perímetro (30.4% dos 3-PT na temporada) ‘afiado’ no período, porém, o novato usou do ‘temor’ de seus adversários quanto à sua capacidade de infiltrar para conectar pullups da meia distância, bem como para conectar chutes pouco contestados na linha dos 3-PT.

Na semana, Paschall matou 66.7% de uma média de dois arremessos de média distância por partida e 57.1% de uma média de 2.3 de longa distância – sendo a maioria delas (1.3) vindo de pullups do centro da quadra.

 

3 – Tyler Herro (Heat) 15 PTS / 4 RBTS / 1 Roubo / 43.6% FG / 34.6% 3-PT com 6.5 tentativas por jogo

A semana do principal ‘sniper’ da classe foi dividida em duas partes.

Na primeira delas, contra oponentes fortes e adversários diretos pelo topo da Conferência Leste, Herro foi mal – apresentando muita dificuldade para conectar arremessos contra os defensores longos de Raptors e Celtics (média de 5.5 PTS, 26.7% FG e 25% 3-PT nas duas partidas), em jogos que terminaram com a derrota de sua equipe.

Já na segunda, contra adversários mais frágeis em Wizards e Bulls, Herro puniu os erros de comunicação e posicionamento dos adversários na defesa de screens ao se desmarcar com excelente entendimento de ângulos sem a bola e um trabalho de pernas profissional para se equilibrar rapidamente quando em movimento para anotar 24.5 PTS, com 50% FG e 38.9% de uma média de 9 tentativas de 3-PT por jogo.

Sua performance na vitória contra sobre o Bulls merece destaque especial – já que anotou 17 de seus 27 pontos e matou 4 de suas 5 bolas de 3-PT entre o último quarto e a prorrogação da partida.