Nesta nova edição de ‘A fórmula do steal’ analisamos o caso do ala Jimmy Butler (Heat), 30ª escolha do draft de 2011 pelo Chicago Bulls.

1 – Múltiplos anos de basquete universitário

O ala do Miami Heat atuou por três anos na universidade de Marquette e teve um desenvolvimento, digamos, ‘tradicional’. Em sua primeira temporada, atuou por 19 minutos com 2.9 tentativas de arremessos por partida – tendo média de 5.6 pontos.

No segundo ano, Butler tomou o posto de líder da equipe com e o manteve até o terceiro – quando acumulou médias de 15.7 pontos, 6.1 rebotes, 1.4 assistência e aproveitamento de 51.5% nos arremessos de quadra.

2 – Medidas físicas medianas para a posição

Os 1,98m de altura e 97kg do ala eram considerados bons para a posição de ala na NBA, mas sua envergadura de 2,02 e alcance de 2,15m eram considerados – no máximo – medianos.

3 – Jogo mais baseado nas habilidades e na inteligência do que na capacidade atlética

Em análise publicada em 15/10/2010, os analistas Walker Beeker, Joseph Treutlein e Matt Kamalsky co-assinaram as seguintes aspas: “Um dos grandes problemas do jogador no próximo nível, é fato dele não ser um grande atleta. Butler é um jogador bastante fluido e usa passadas largas para atacar aro. No entanto, lhe falta explosão, força e boa mobilidade lateral. Sua falta de especialidade atlética colocará um ponto de dúvida na cabeça dos olheiros”.

De lá para cá, o jogador mostrou grande dedicação nos treinamentos resistidos e se tornou um dos jogadores mais fortes de sua posição na NBA. Contra sua falta de explosão – Butler – além de ganhar força para criar espaço a partir do contato aprimorou seu trabalho de pernas para bater adversários com movimentos avançados como passos para trás, laterais e fadeaways.

4 – Atuam em universidades – ou times europeus – que não possuem tanta ‘hype’

Apesar de ter levado à NBA dois dos melhores wings da NBA recentemente como D. Wade e Butler, a Univ. de Marquette não é conhecida por colocar seus atletas nas loterias do draft. Dentro de sua própria conferência – a Big East, existem universidades mais badaladas historicamente como Villanova e Georgetown